Minifutures – ganhar com volatilidade

0

Os MiniFutures são um produto estruturado que visam gerir as exposições a fortes oscilações dos activos associados, ou seja, combinam características dos contratos de futuros com as dos warrants.

Como os futuros, espelham variações do activo subjacente, sejam acções, índices, divisas, obrigações ou matérias-primas, atendendo ao rácio ou paridade. Daí que comporte risco, o que significa que deve ser utilizado por pessoas com uma apetência para o risco. No caso de se apostar numa subida de cotação, dever-se-á investir nos MiniFutures Long, enquanto que a antecipação de uma descida deverá traduzir-se na compra de MiniFutures Short.

Como negociar?

Os MiniFutures são admitidos à negociação no Easynext Lisbon, sistema de negociação multilateral gerido pela NYSE Euronext Lisbon, sendo a respectiva negociação possível directamente em bolsa ou fora do mercado regulamentado. Neste último caso, pode ser feito através, por exemplo, da plataforma Direct Trade, que disponibiliza MiniFutures emitidos pelo Commerzbank, e que estão a ser alvo de uma campanha promocional, e estão disponíveis minifutures sobre índices e acções na Euronext, mas também sobre matérias-primas, exclusivamente no Direct Trade.

campanha Big Commerzbank

Os produtos estruturados têm um strike ou preço de exercício, que é ajustado diariamente, de modo a permitir financiar os custos de alavancagem.

Esta alavancagem surge como uma das principais características, potenciando ganhos gerados pela volatilidade, da mesma forma de que riscos, dado que existe o de perda total do capital. Por isso mesmo, os minifutures têm integrada a função de “stop loss”, que é um determinando nível, fixado no primeiro dia de negociação de cada mês, que impede a acumulação de perdas para além do capital investido.

Calcular o valor dos minifutures

Nos Miniftures Long, o “valor justo” corresponde à diferença entre o preço de mercado actual do activo subjacente e o preço de exercício do produto, multiplicado pelo rácio de conversão. Ao passo que nos Short, subtrai-se o preço actual do activo subjacente ao preço de exercício e o resultado é multiplicado pelo rácio de conversão.  O rácio representa a quantidade de MiniFutures necessária para receber uma unidade do activo subjacente. Por exemplo, se o rácio for 10:1 (0,1) significa que são necessários 10 mini-futures para adquirir uma unidade do activo subjacente.

Se eu estiver a apostar na subida de um índice e investir 10 mil euros em mini-futures Long com um preço de exercício de 5 mil pontos a 16 euros cada, caso o índice valorize para 6,6 mil pontos, registo uma rentabilidade de 80%; mas caso aposte na descida do índice e invista os mesmos 10 mil euros na compra de mini-futures com um strike de 9 mil pontos por 24 euros, se o índice subir, a perda é substancial. O recíproco também se aplica, claro.

Preços minifutures

O banco BIG oferece free trading até 1 de Novembro para ordens a partir de 500 euros, através da sua plataforma online, My Bolsa, ou do Commerzbank, através do Direct Trade

Saber mais

COMPARTILHAR
Artigo anteriorDepósitos perdem para Certificados
Próximo artigoPoupança Montepio Capital Certo até 4%
Economista de formação e jornalista por devoção, tenho procurado nos últimos anos desenvolver competências na área da prospectiva económica, com foco nas questões da globalização e sustentabilidade. A incerteza é uma matéria-prima crucial na reflexão sobre o nosso futuro colectivo.

DEIXE UMA RESPOSTA